A Rede

Um blog sobre as redes da vida e a vida das redes, por Dalberto Adulis

Archive for the ‘social’ Category

Vida em rede: conexões, relacionamentos e caminhos para uma nova sociedade

Posted by dalberto em 23 setembro, 2011

O Instituto C&A, que completa 20 anos de atuação em 2011, lança no próximo dia 27 de setembro a publicação “Vida em rede: conexões, relacionamentos e caminhos para uma nova sociedade”. O livro aborda a importância do trabalho social em rede para a transformação de realidades complexas.

O livro é um compêndio de oito artigos que tratam de temas como a morfologia das redes, o conceito de campo sociopolítico, advocacy e incidência política via o trabalho em rede e a articulação do Sistema de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente na forma de uma rede.

A coletânea traz artigos de Ilse Scherer-Warren, mestre em Sociologia Rural pela UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) e doutora em Sociologia pela Universidade de Paris; Ciça Lessa, secretária-executiva da Rede Andi Brasil; Dalberto Adulis, Diretor Executivo da ABDL (Associação Brasileira para o Desenvolvimento de Lideranças); Ricardo Wilson-Grau, consultor internacional em planejamento, monitoramento e avaliação de redes internacionais de mudança social; e Cássio Martinho, jornalista, professor e consultor em gestão de redes.

Na publicação os autores abordam temas como “Redes da Sociedade Civil: advocacy e incidências possíveis”, “Articulação do Sistema de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente na forma de rede”, “Para uma noção do campo sociopolítico”, “A profusão das redes: gestão e fomento na promoção do desenvolvimento”, entre outros.

Para marcar o lançamento da publicação, o Instituto C&A fará um evento com os autores no próximo dia 27 de setembro. O conteúdo do livro já está disponível no link http://www.institutocea.org.br/midiateca/129/Publicacao/vida-em-rede.aspx .

“Criado há 20 anos, o Instituto C&A acumula experiência no trabalho em rede em diferentes perspectivas, o que trouxe ensinamentos diversos e o fortalecimento do trabalho em parceria com diversas instituições”, conta Paulo Castro, presidente do Instituto C&A. “Em 2010, lançamos o programa Redes e Alianças, com o objetivo de promover a cooperação, convergência e multiplicação de esforços entre organizações sociais e pessoas, contribuindo para a garantia dos direitos da criança e do adolescente no Brasil”, complementa.

As ações do Instituto C&A no campo do fomento à atuação social em rede acontecem sob o guarda-chuva do programa Redes e Alianças. A relação de iniciativas apoiadas inclui a Rede Andi Brasil, a Oficina de Imagens, o Grupo de Trabalho (GT) Nacional Pró-Convivência Familiar e Comunitária, o Fórum Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (FNDCA) e a Associação Brasileira de Magistrados, Promotores de Justiça e Defensores Públicos da Infância e da Juventude (ABMP).

O programa Redes e Alianças tem o objetivo de promover a cooperação, a convergência e a multiplicação de esforços entre organizações e pessoas, de modo a contribuir para a garantia dos direitos da criança e do adolescente no Brasil. Uma das formas de atuação do programa é a promoção, fomento e disseminação da produção de conhecimento sobre redes, daí a proposta de editar um livro sobre o assunto.

Posted in Colaboração, Liderança, Redes, social, Sociedade, Sustentabilidade | Leave a Comment »

Esta febre do Twitter

Posted by dalberto em 31 agosto, 2009

Eu tenho dificuldades para entender o que ha de tao especial no Twitter quando comparado a sistemas de blogs como o proprio Worldpress ou Blogger, que tambem dispoem de muito recursos para interacao….

Agor veemos todos usando o sistema , postando mensagens ta sinteticas…e achando que descobriram a roda…

Tecnologicamente é muito mais pobre do que os Blogs ou sistemas de redes sociais como o Ning…..e acho que esta fazendo tanto sucesso apenas porque esta fazendo sucesso…a velha historia do biscoito Tostines…

Mas com certeza dara muito o que falar e permitira que muitos que estavam bem distantes dos pricnipais recursos da web2.0 passem a postar conteudos de forma mais sistematica….inclusive algumas lesmas…como a xuxa, que saiu em defesa à sua filha, que tinha cometido erros crassos de portugues, no Twitter, dizendo:

fui vcs não merecem falar comigo nem com meu anjo

O pior de tudo eh que estava escrevendo tudo EM MAIUSCULAS SEM SABER QUE ESTAVA GRITANDO>>>

Ai vai o meu twitter..que por enquanto acho que ficara Tao desatualizado quando o blog..

http://twitter.com/dalbertoadulis

Posted in Colaboração, Comunicacao, Internet, Redes, social | 3 Comments »

Liderança para a Segurança Climática

Posted by dalberto em 8 maio, 2009

Programa Liderança para Segurança Climática – LEAD inscrições até 20 de maio

A ABDL lança a segunda edição do programa Liderança para Segurança Climática – LEAD, desenvolvido em parceria com o LEAD Internacional – Leadership for Environment and Development e GLN – Global Leadership Network. O programa se propõe a desenvolver lideranças na transição para sociedades com baixo teor de carbono capazes de se adaptar às mudanças climáticas, combinando enfoques, metodologias e disciplinas que contemplam as dimensões pessoal, organizacional, interpessoal e sistêmica da sociedade.

O programa confere atenção a estes aspectos a partir de uma abordagem integradora e sistêmica. As turmas são formadas por pessoas oriundas de diferentes áreas de conhecimento e campos de atuação, que compartilham um espaço onde a diversidade de visões e experiências são insumos do processo de aprendizagem. Os encontros equilibram conteúdo (palestras, apresentações, visitas de campo e vivências dos/as participantes), processo (dinâmicas de grupo, diálogos, colaboração) e assessoria individual (coaching), voltados ao aperfeiçoamento e implementação das iniciativas nos contextos onde são desenvolvidas.

Durante os 7 meses do programa (junho a dezembro/09) são previstas 200 horas presenciais e 100 horas de atividades à distância, incluindo:

  • 4 encontros, realizados em retiro, entre São Paulo e Rio de Janeiro.
  • 1 seminário internacional “Liderança e Mudanças Climáticas: Impactos, Inovação e Interdependência”, em Beijing, China.
  • Atividades à distância.
  • Desenvolvimento de Iniciativas.

Os egressos do programa tornam-se integrantes (fellows) das redes ABDL/LEAD, formada por mais de 300 fellows no Brasil e 2.000 no mundo.

Eixos temáticos

  • Mudanças Climáticas: Ciências do clima, geopolítica e economia da mudança climática, desafios para mitigação e adaptação, iniciativas inovadoras;
  • Liderança: Teoria e prática das novas abordagens de liderança, voltadas ao desenvolvimento de recursos internos e externos;
  • Desenvolvimento Sustentável: Sustentabilidade, visão sistêmica, transição e mudança, diálogo multissetorial;
  • Redes: Comunicação, colaboração, facilitação, participação e engajamento.

Posted in meio ambiente, projetos sociais, social, Sociedade | Etiquetado: | 2 Comments »

Ameaças à Privacidade na Europa

Posted by dalberto em 15 fevereiro, 2007

Europa quer saber quem está online.

Artigo de Victoria Shannon, dm Paris. Publicado no Herald Tribune em 14/02/2007 com tradução de George El Khouri Andolfato para UOL Midia Global.

titulo = ”; if (subtitulo.length > 2) { document.write (‘‘+subtitulo+’
‘) }Os governos europeus estão preparando uma legislação para forçar as empresas a manterem dados detalhados sobre o uso da Internet e do telefone pelas pessoas, algo muito além do que os países serão obrigados a fazer, segundo uma diretriz da União Européia (UE).

Na Alemanha, uma proposta do Ministério da Justiça basicamente proibirá o uso de informação falsa para a criação de conta de e-mail, tornando ilegal a prática padrão na Internet de criação de contas com pseudônimos.

Uma lei esboçada na Holanda igualmente irá além do que exige a UE, neste caso obrigando as companhias telefônicas a guardarem os registros de exatamente onde alguém está durante toda uma conversa por telefone móvel.

Os provedores de Internet na Europa já divulgam de forma “rotineira” informações sobre os clientes – que eles normalmente mantêm à mão por cerca de três meses, para fins de cobrança – para policiais com ordens judiciais, disse um especialista em privacidade. Os dados detalham como a comunicação foi enviada e por quem, mas não divulga o seu conteúdo.

Mas as autoridades argumentaram na época dos atentados terroristas na Espanha e no Reino Unido, em 2004, que precisavam de um armazenamento maior, melhor e mais longo de dados por parte das empresas que cuidam das redes de comunicação da Europa. A Corte Nacional espanhola dará início nesta quinta-feira (15) ao julgamento dos 29 suspeitos dos atentados a bomba contra trens em Madri, em 11 de março de 2004, que mataram 191 pessoas e feriram mais de 1.800.

Os países da UE têm até 2009 para transformar a Diretriz de Retenção de Dados em lei, de forma que as propostas apresentadas até agora são interpretações iniciais. Mas algumas pessoas envolvidas na questão estão preocupadas com uma mudança no pêndulo da privacidade na Europa, que há muito era uma defensora dos direitos de privacidade dos indivíduos.

Segundo as propostas na Alemanha, os usuários teoricamente não poderiam criar contas de e-mail fictícias, por exemplo, para se disfarçarem em leilões online. Nem poderiam usar uma conta inventada para receber e-mail comercial indesejado. Apesar de não serem proibidos apelidos em e-mails, eles teriam que ser rastreáveis ao dono de fato da conta.

“Isto é uma coisa incrivelmente ruim em termos de privacidade, já que as pessoas cresceram com a idéia de que você pode ter uma conta anônima de e-mail”, disse Peter Fleischer, o consultor europeu de privacidade da Google, em Paris. “Além disso, será difícil aplicar e não funcionará.”

Fleischer, cuja empresa com sede na Califórnia oferece serviço gratuito de e-mail, disse que lei terá que exigir algum tipo de verificação de identidade, “como a necessidade de se registrar para obtenção de um endereço de e-mail usando sua carteira de identidade nacional”.

Jörg Hladjk, um advogado especializado em privacidade da Hunton & Williams, uma firma de advocacia de Bruxelas, disse que também poderá se tornar ilegal pagar em dinheiro por contas de celular pré-pagos. As informações de cobrança de assinaturas regulares de telefonia celular já são verificadas.

“É irônico”, disse Fleischer, “porque a Alemanha é um dos países na Europa onde as pessoas mais falam sobre privacidade. Em termos de conscientização de privacidade em geral, eu colocaria a Alemanha em um extremo”.

Fleischer disse que não está claro se alguma lei européia se aplicará aos provedores de e-mail com sede nos Estados Unidos, como a Google, de forma que qualquer um que necessite de um endereço de e-mail não verificado – por motivos políticos, comerciais ou filosóficos – ainda poderia usar os endereços do Gmail, Yahoo ou Hotmail. “Será difícil saber que lei se aplica”, disse Hladjk.

A Google só exige duas informações para abertura de uma conta no Gmail – nome e senha – e a empresa não tenta determinar se o nome é autêntico.

Na Holanda, a proposta de ampliação da lei para abranger todos os dados de localização dos aparelhos móveis “implica em vigilância de movimento de um grande número de cidadãos inocentes”, disse a Agência Holandesa de Proteção de Dados. A agência concluiu em janeiro que a lei desrespeita as proteções da privacidade da Convenção Européia de Direitos Humanos. De forma semelhante, a Bitkom, a associação setorial alemã de tecnologia, disse que a lei dali viola a Constituição alemã.

As associações do setor de telecomunicações e Internet fizeram objeções quando a diretriz estava sendo debatida, mas na época suas preocupações eram quanto ao prazo da necessidade de manutenção dos dados e como as empresas seriam compensadas pelo custo de reunir e guardar a informação. A diretriz acabou deixando ambas as decisões nas mãos dos governos nacionais, estabelecendo um prazo de seis meses a dois anos.

“Há muitas pessoas na Alemanha que apóiam totalmente este esboço”, disse Christian Spahr, um porta-voz de telecomunicações e lei da Bitkom. “Mas há outros que o criticam mais do que nós.”


Posted in consumidor, Cultura, Internet, Mundo Virtual, social, Sociedade, Tecnologia | Etiquetado: , , , , | Leave a Comment »

A Construção em Rede

Posted by dalberto em 27 setembro, 2006

Para mim, um dos pensamentos mais elucidativos sobre o que é o trabalho em rede aparece em uma frase de um livro chamado Movimentos Sociais na Rede, de Osvaldo León, Sallu Burch e Eduardo Tamayo, publicado pela ALAI – Agencia Latinoamericana de Informacao, em setembro de 2001.

É uma frase simples, mas bastante interessante porque valoriza mais a idéia da construção EM rede ou “trabalhar em rede” (movimento e colaboração) do que a construção DA rede e a forma de organização em rede (estrutura e coordenação).

Pretendo utilizar esta frase como ponto de partida (e de chegada) da apresentação que realizarei, amanhã, no I Encontro Gaúcho do Terceiro Setor, que ocorrerá em Novo Hamburgo (RS).

“Una construcción en red implica desarrollar una idea para organizarse y

organizarse para desarrollar una idea”.

Osvaldo León, Sally Burch, Eduardo Tamayo
ALAI, septiembre 2001

Posted in Colaboração, Desenvolvimento, ONG, projetos sociais, Redes, social, Sociedade | Leave a Comment »